Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 10 de março de 2010

Kboing entrevista oficina G3

Pioneira no estilo musical rock’n roll cristão, a banda Oficina G3 formada há 22 anos, irá lançar o primeiro DVD da carreira no início do primeiro semestre de 2010. O trabalho que foi gravado no final de julho, na cidade paulista de Santa Bárbara d’Oeste, está em fase de pós-produção de vídeo e áudio.

Ouvir Oficina G3 no Kboing
Confira letras de Oficina G3

Formado por Mauro Henrique (vocal), Duca Tambasco (baixo), Juninho Afram (guitarra), Jean Carllos (teclado), a Oficina G3 conta com uma discografia de sete álbuns de estúdio, desses quatro discos de ouro. O grupo que já realizou turnês pela Europa, America Latina e Estados Unidos, comemora a conquista do Grammy Latino deste ano, após ter sido indicado outras duas vezes, em 2005 e 2007.

O baixista Duca Tambasco e vocalista Mauro Henrique concederam entrevista exclusiva ao Kboing. O lançamento do DVD, a nova turnê, a repercursão da banda no meio secular e fatores que merecem a atenção dos cristãos foram alguns dos temas abordados pelos músicos. Confira a entrevista:

Kboing – Além de um instrumento de conversão. O que é a música significa pra você?
Duca Tambasco –
É uma paixão, aquilo que nos dedicamos a vida toda. Pra mim é algo que veio de família. Minha família é de musicistas desde pais, estendendo até tios, primos...então não tinha muito como fugir disso. E nada como unir o útil ao agradável, não é? A nossa fé, aquilo que a gente leva no coração, com aquilo que a gente ama tanto que é a música.

Kboing – A escolha do nome Oficina G3 foi inspirado em algo?
Duca Tambasco –
A banda era o terceiro grupo de louvor de uma igreja, chamado Grupo 3, por isso G3, uma abreviação. E quando finalmente, pintou a proposta de fazer o primeiro LP, na época, isso em 1990, surgiu a ideia de agregar ao nome G3, a palavra oficina, que nada mais é do que o lugar onde conserta coisas, e no nosso caso, a gente conserta vidas.

Kboing – Como foi o início da banda? Hoje os integrantes não são da formação inicial, trace um panorama da historia do grupo...
Duca Tambasco –
A banda começou em 1987, como um grupo que foi crescendo bastante. O Juninho está desde o começo e a formação inicial contava também com o Manga, ex-vocalista, com o Maradona, ex-contrabaixista, Valter Lopes, ex-baterista, que começaram esse trabalho, eles sempre se dedicaram e trabalharam muito por esse projeto. Em 1994, eu entrei, em 1996 foi o Jean que entrou e depois veio o PJ, que entrou não sei exatamente e também não lembro exatamente o ano em que ele saiu...e quando o PJ saiu o Juninho começou a fazer os vocais e há cerca de um ano e meio o Mauro entrou com a gente ai para gravar o CD “Depois da Guerra”, e entrou com o pé direito, pois ganhamos o Grammy Latino com esse trabalho.

Kboing – E qual foi a emoção de ter um álbum premiado?
Duca Tambasco –
Nossa foi demais. Muito legal, porque com esse disco ganhamos também o Troféu Talento, que é o maior evento de música cristã do Brasil. Tivemos a oportunidade de vencer em duas categorias: Já o Grammy Latino era a nossa terceira indicação e como eu falei o Mauro entrou com o pé direito, arrebentando nos vocais. A gente unindo isso a essas conquistas que com certeza alegram nossos corações, mas que não são o foco da nossa vida, da nossa trajetória. O nosso objetivo sempre foi falar de Jesus, foi trazer a palavra de Deus através do rock’n roll, mas é claro que um prêmio como o Grammy nos dá um fôlego novo.

Kboing – Qual o segredo para conquistar um público de tantas religiões diferentes como evangélicos, católicos, luterano, metodista, presbiteriano, batista, pentecostais...?
Duca Tambasco –
Eu atribuo isso ao respeito. Sempre tivemos muito respeito, apesar de termos as nossas convicções: Jesus Cristo como nosso Salvador, cremos como cristãos que somos na vida eterna...do mesmo jeito que temos nossas crenças, nós nunca recriminamos as pessoas que tenham outras crenças. Quando a oportunidade vem, a gente fala aquilo que pensa, mas também não ficamos batendo de frente, até mesmo porque nós como cristãos, acreditamos que muito mais que a minha palavra, muito mais do que a minha agressão a qualquer tipo de religião, o próprio Deus pode falar através de nossas músicas...então pra que é que eu vou passar na frente de Deus que é soberano?
Acredito que o respeito que a gente sempre teve seja por católicos, espíritas, macumbeiros, umbandistas, budista, ‘n’ religiões, é notado pelas pessoas. Nós só temos uma mensagem a dizer para todas as pessoas: Jesus Cristo é a razão do nosso viver e pode ser a razão do viver de todos.
Mauro Henrique – A questão musical também tem muito a ver, porque eu acho que o rock’n roll rompe muitas barreiras, com certeza existe sempre o preconceito, mas eu creio que a questão musical chama muito a atenção das pessoas e isso faz com que a gente esteja em evidencia, sendo comentado em comunidades como Metallica, Dream...

Kboing – Como vocês encaram a fama?
Duca Tambasco –
Lidamos da forma mais natural possível. Acredito que posso falar por todos, porque começamos muito cedo, sem fã nenhum, não começamos gigantes. Então esse crescimento foi gerando um amadurecimento gradativo. A partir do momento que acontece algumas vezes de você fazer um showzão para 4 mil pessoas e no dia seguinte, vou vai tocar numa igreja por exemplo e tem lá suas 30 pessoas, isso te coloca no seu lugar: de que você não é nada, é só um veiculo. É claro que a gente fica muito feliz com a admiração das pessoas...como aconteceu agora pouco, de um cara vir me entregar um CD e falou que começou a tocar contrabaixo por minha causa e eu nossa, fico feliz da vida porque tenho visto que nossa música tem alcançado as pessoas.

Kboing – As letras das músicas são fruto de experiências pessoais, do dia a dia? Como surge a inspiração para compor?
Duca Tambasco –
Todos nós compomos. Estávamos eu e o Mauro falando disso agora. Acabei de falar com ele de uma música que ontem a noite, na viagem em que estávamos vindo de São Paulo, me veio uma letra. As vezes são experiências muito próximas, coisas que a gente ouve na igreja, que o pastor traz uma palavra e a gente pensa: poxa!Interessante isso aí, acho que uma música a respeito disso vai levar uma mensagem, porque uma coisa é 500 pessoas ouvirem outra coisa é o alcance de uma música.
Mauro Henrique – Acho que rola uma conexão assim, já que a gente vive muito tempo junto, viajando...quando o Duca me falou dessa letra, já me veio várias coisas na mente do que a gente mesmo vive, ou seja, não precisei falar para ele: você ta dizendo isso por causa que aconteceu aquilo...
Duca Tambasco – É, acaba que a maioria das músicas a gente compõe em conjunto.
Mauro Henrique – Quando eu entrei na banda, as músicas de “Depois da Guerra” já estavam compostas e tal, mas eu acabei contribuindo em algumas ainda....
Duca Tambasco – Sempre trabalhamos dessa forma, a gente traz a ideia, bem mastigada às vezes, bem crua e finalizamos juntos.

Kboing – E quanto aos temas das músicas, vocês não enfocam apenas a religião, mas as letras falam também de preocupações sociais como o combate as drogas, o meio ambiente, etc...
Duca Tambasco –
Estão conectados. Não tem como desconectar a mensagem de Deus para uma mensagem que não seja antidrogas, ecológica, politizada. No nosso caso porque somos protestantes por natureza. Apesar de existir essa nomenclatura evangélico, eu me considero muito mais protestante, pois faço parte de uma igreja que tem uma história protestante, então consequentemente isso esta na nossa veia, é difícil desagregar uma coisa da outra.

Kboing – Quais são os planos da banda para o ano que vem?
Duca Tambasco –
Iremos lançar um DVD no ano que vem. O trabalho foi gravado em Santa Bárbara d’Oeste no final de julho, com um repertorio totalmente nosso com músicas em cima do disco “Paz e Guerra”. Estamos na pós-produção de vídeo e áudio e acreditamos que no começo de 2010 o pessoal já vai estar um DVD filé aí na mão.
Mauro Henrique – Já iremos começar a turnê do DVD, embora seja basicamente as mesmas músicas do CD, mas elaboramos um show diferente que iremos seguir esse padrão do DVD, vai ser uma nova turnê do “Depois da Guerra”.
Duca Tambasco – O que podemos adiantar é que o nome será “DDG Experience”.

Kboing – Deixem uma mensagem para os fãs da Oficina G3 que acessam o Kboing?
Duca Tambasco –
Queremos desejar para vocês um feliz Natal e também boas festas com as famílias. Aproveitem bastante este final de ano que é muito bom poder reunir a família à mesa, comer bastante. Esperamos que Deus esteja na vida de vocês fazendo parte de tudo isso que Ele nos proporcionou que é um bem maior, a família. Desejamos 2010 com muita alegria, deseja muito “DDG Experience Tour” na sua cidade
Acessem o Kboing, e também vou fazer nosso ‘merchand zinho’aqui: acessem também o nosso site e no twitter, comunidade do orkut, enfim tem muitas coisas que você pode conectar e estar próximo da gente para saber como que está a nossa vida.um abraço para todos e Deus abençoe você!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

História da Banda

A banda que esta em turnê de lançamento do novo CD “Depois da guerra”, já tem uma longa historia de lutas e glórias. Com o estilo definido no rock a banda já passou por vários subgêneros do estilo, variando do Hard Rock ao metal progressivo. Com 4 discos de ouro, um de platina, diversas turnês pela América do Sul, Estados Unidos e Europa... Resultando uma caminhada de 21 anos pela estrada.

Foi em São Paulo no ano de 1987, na Igreja Cristo Salva, ministério também conhecido como "Igreja do tio Cássio" que começava a grande trajetória de um grupo de músicos roqueiros e adoradores de Cristo. Nesta época ainda eram apenas chamados de grupo três "G3" devido o numero do grupo de louvor pelo qual faziam parte na igreja que freqüentavam.

A banda que já passou por diversas formações já teve ao todo 15 integrantes. Inicialmente contava apenas com 3: Juninho Afram Guitarrista, Valter Lopes Baterista e Maradona Baixista. Logo integraram a banda dois vocalistas : Luciano Manga e Túlio Régis. Nessa época já tinham deixado de chamar apenas G3 “Grupo Três” e tinham passado a se chamar Oficina G3 nome que significa segundo os integrantes, “O poder que Deus tem de consertar e restaurar o que está quebrado.” Nesse período a banda estava na fase do seu primeiro trabalho, ainda na época do vinil, que foi o disco "Oficina G3 Ao vivo" no ano de 1990. Seguido do primeiro álbum de Estúdio, esse já em formato de cd, gravado em 1993, chamado "Nada é tão Velho Nada é tão Novo"

Devido o rock e o visual adotado pelos integrantes com tatuagens, brincos, piercings e cabelos compridos, o grupo no começo da carreira passou por discriminações do meio secular e até mesmo de igrejas que viam seu trabalho e comportamento como satânico.

Pouco tempo depois acontece na banda diversas modificações. Motivados a seguirem seus próprios trabalhos musical e pastoral. Saiam os integrantes (Maradona), (Túlio Régis), e também (Marcio Woody carvalho) que fez participações no teclado nos dois primeiros trabalhos. Daí entraram 2 novos integrantes: (Duca Tambasco), que já havia feito participações no segundo álbum tocando baixo e (Jean Carlos no teclado), que já havia feito show de abertura do Oficina G3 com sua banda anterior. Com “Duca e Jean” na parada a banda prosseguiu fazendo shows e logo partiu para mais uma gravação. A terceira, denominada de “Indiferença” em 1996, considerada a de grande difusão da banda, contando com “Magia Alguma” “Espelhos Mágicos” Gloria” e tantas outras musicas que fizeram grande sucesso e diferença através do CD “indiferença”

Outra modificação que aconteceu e uma das mais notórias, foi á saída do vocalista Luciano Manga pelos mesmos motivos dos demais. Entrando em seu lugar Pedro Geraldo “PG”, este que fez parte da banda nos momentos de maior sucesso, participando de gravações como: “Acústico” 1998, “Acústico ao vivo” 1999 seguido do DVD. Já em 2000 a 2002 são gravados o CD e DVD “O tempo” fase em que a banda mostrava um trabalho pop-rock, período de maior sucesso, obtendo o grande aumento da popularidade, fazendo com que tivesse maior aceitação por parte do publico gospel e secular. Após esta gravação o baterista Walter Lopes decidiu sair da banda para também ter seu próprio ministério. Onde foi chamado para ficar em seu lugar o baterista contratado Luis Fernando “Lufe”.

Em 2003 gravam o CD “Humanos” um dos mais pesados com tendências do pop-rock e New Metal, contendo musicas marcantes e nunca esquecidas pelos fãs como : “Onde Esta?” “Te escolhi” “Apostasia” e “Até quando” mas conhecida como humanos.
Com tantas modificações era possível acreditar que outras poderiam acontecer ao longo da trajetória. E seria exatamente o que aconteceria após uma curta diferença de data. Porém desta vez uma mudança que fez com que os fãs pudessem perceber um abalo na banda. Foi quando “PG” resolveu sair e seguir seu caminho.


Na busca do mais alto, todavia com a recém polêmica da saída do ex-vocalista, a banda continuou obtendo feitos inéditos. Com apenas três integrantes fixos, foi decidido pela banda não adicionar fixamente mais nenhum integrante. E o guitarrista Juninho Afram que desde o primeiro trabalho já cantava, mas como vocal de apoio, decide assumir a função de vocalista principal sem largar a guitarra. Superando todas as expectativas no vocal e cada vez mais surpreendendo com seus solos. Em 2005 é lançado o álbum “Além do que os olhos podem ver” em que a banda passou por brusca transformação no gênero musical. Já era bem notável algumas mudanças passando por, hard rock, glam rock, traços do heavy metal, blues , pop-rock, new metal. Porém desta vez o que se viu foi uma super inovação com a força do metal progressivo cristão. Onde pode ser notado a grande potencia e evolução na sonoridade por parte de todo instrumental e firmeza por parte dos vocais, de Juninho e apoiados por Duca e Jean . Com músicas super agressivas, o CD também contou com baladas bem elaboradas e pesadas. Resultando importantes premiações e turnê pelos Estados Unidos. Neste trabalho a banda contou com a participaç'oes do vocalista (Marcão) da banda Fruto Sagrado na música “Sem trégua” e (Déio Tambasco) na guitarra base.
Após um tempo significativo sem lançar um novo álbum devido uma grande turnê pelo país a fora, seguido da produção detalhada do novo trabalho que viria, a banda lançou seu novo álbum, que chegou as lojas no ano em que completou 20 anos, em 2007 denominado de “Oficina Elektracústika G3”. Já com dois novos integrantes contratados (Alexandre Aposan) na bateria e (Celso Machado) na guitarra de apoio, nos lugares de (Lufe) e (Déio tanbasco). O elektracustika como o nome já diz varia da sonoridade do acústico a instrumentos elétricos. Contando com varias regravações porém super personalizadas, umas com batidas e arranjos de outras e inovados. Sem falar o diferencial obtido com a presença marcante de instrumentos como flauta, trazendo total suavidade no som sem perder totalmente o peso. Com 15 faixas, 9 regravadas e 5 inéditas entre elas “Cura-me” “Adeus” “Eu Lazaro” “Me faz ouvir” “Deserto”. O trabalho possui um grande sentimentalismo. E resultou a banda o quarto disco de ouro.

Meado deste ano é dado a noticia que o Oficina G3 teria um novo vocalista. Logo de inicio os fãs achararam que com a entrada de um novo integrante no vocal, o até então atual Juninho Afram que esta desde o inicio da banda, tivesse saído. Mas para o alívio dos fãs não foi uma substituição, e sim uma soma para a banda. Com a entrada de Mauro Henrique “Maurão”. Juninho que esta na banda desde tempo do vinil, apenas deixou de ser o principal vocalista. Continuando na guitarra e fazendo baking vocal. Somado do alívio, para maior alegria da galera a banda anuncia junto do novo integrante, a gravação do mais novo trabalho “Depois da Guerra”. CD que tem um nome expressivo, e significa segunda a banda “Tudo aquilo que já vivemos, para o que vamos viver. Lutas, Batalhas sim. Porém a alegria chegando ao amanhecer.
Daniel Santos
Quer saber + sobre a história, perfil e agenda de show da banda? Só clicar no Link do site


segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

PARA VOCE QUAL É O MELHOR DO OFICINA G3 ?

JUNINHO AFRAM
DUCA TAMBASCO
MAURO HENRIQUE
JEAN CARLLOS

POSTE UM COMENTARIO DIZENDO SUA RESPOSTA

OBRIGADO

Juninho Afram

Guitarrista e Vocal do Oficina G3
Jean Carllos

Tecladista da banda Oficina G3

Duca Tambasco

Vocalista e Contra Baixista da Banda Oficina G3
Mauro Henrique

Vocalista da Banda Oficina G3